sexta-feira, 11 de maio de 2012

Seminário propõe novo método para ensinar geografia

Por Kleber Costa
Vice-reitora Ana Dantas abre o evento
A palestra “Proposta Metodológica para o ensino de Geografia: a aprendizagem baseada em problemas” (ABP) foi ministrada ontem, no auditório do Departamento de Geociências pelo Professor Doutor Alfonso Garcia de la Vega. Ele trabalha na Facultad de Formación de Profesorado y Educación (Departamento de Didácticas Específicas) da Universidad Autonoma de Madrid.
 

A abertura da apresentação contou com a presença da Vice-Reitora, Ana Maria Dantas Soares; da Pró-Reitora de Graduação, Nidia Majerowicz; do convidado, Alfonso Garcia De la Vega; da coordenadora do curso de Geografia, Regina Cohen Barros; dos professores André Santos Rocha, Jerusa Vilhena de Moraes e Leandro Dias de Oliveira; e Rosa Maria Marcos Mendes, coordenadora Institucional do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID).

O evento trouxe aos alunos de Geografia, Geologia e outras áreas um novo modelo de ensinar os estudos Geográficos. A metodologia, que pode ser aplicada a outras áreas do conhecimento, sugere aos futuros e atuais professores, tanto da educação básica quanto da superior, que invertam o processo do conhecimento.


Estudantes e professores participaram
de Seminário de Geografia
Segundo Garcia, a partir de um acontecimento, ou de uma imagem é possível trabalhar inúmeros conteúdos passando por várias áreas. O Doutor usou como exemplo a erupção do vulcão islandês Grimsvotn, que há um ano fechou por quase dez dias vários aeroportos, principalmente na Europa. Partindo de uma foto levada à sala de aula o professor problematiza o conteúdo. Neste caso é possível estudar movimentos tectônicos; massas de ar que espalharam as cinzas vulcânicas; o impacto no espaço aéreo, turismo e economia nos países afetados; a interação vulcão e locais próximos; a falta de linhas férreas em Portugal; consequências na vegetação e rios, além da remoção da população nas proximidades do vulcão. Foram estudados questões de economia, geografia, geologia, psicologia, engenharia, dentre outras.

“No método tradicional os conteúdos são apresentados desconectados aos alunos. O novo método sugere uma conectividade entre os conceitos, além da valorização de outros saberes”, destacou Garcia.

O método inovador ainda sugere que os alunos trabalhem em grupos de até três alunos inicialmente e posteriormente se unam para que exista uma maior troca de conhecimento, aprendendo uns com os outros.

Questionado sobre o que muda para os alunos o professor destaca alguns dados revelados por pesquisas. Segundo ele os alunos que tiveram a oportunidade de terem aulas ministradas com o novo método conseguiram um lugar no mercado de trabalho mais rápido e melhores remunerações.

A professora Jerusa Vilhena falou sobre a vinda do professor Alfonso. “A importância dessa palestra com o Doutor de la Vega está em como ele percebe e entende as questões de ensino e aprendizagem, e a aula como um todo.” A coordenadora do curso de Geografia complementa dizendo que, para ele a aula é um espaço de reflexão sobre o conteúdo ministrado e a forma com que se passa esse conhecimento influencia diretamente na formação do aluno.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário